Notícias

União e Glórias

Entrevista – Dra Viviane Castanheiro

Batemos um papo com a Dra Viviane Castanheiro que faz parte do Departamento de Psicologia do Esporte do Palmeiras Locomotives, sobre sua formação, suas experiências e todo o trabalho e o impacto no desenvolvimento do time.

whatsapp-image-2018-06-12-at-11-18-17


Dra. Viviane Castanheiro

Quais as suas especializações?
Após a conclusão do meu curso de graduação em Psicologia já logo comecei a fazer cursos para aumentar cada vez minha visão profissional, escuta terapêutica e gama de técnicas psicoterápicas como por exemplo Perícia Policial e Criminal e Enfrentamento da Morte. Porém no meu dia a dia percebi que meu trabalho saia da Psicanálise Tradicional e fui instrumentalizar e nomear o que já acontecia na clínica, foi ai que fiz minha primeira especialização em Psicoterapia Breve. Mais adiante, encontrei algo que complementava algumas questões do meu trabalho clínico que foi a especialização em Psicossomática pelo instituto CEEPS.
Como vejo os estudos como algo contínuo, sempre procuro atualizações como por exemplo no Instituto Albert Einstein estudando os Aspectos Psicológicos das Patologias Nutricionais.

Quais as suas experiências na área da psicologia?
Como a maioria dos estudantes de Psicologia, iniciei o trabalho com Psicologia na área de Recursos Humanos. Trabalhei numa Agência de Emprego e depois numa Empresa de Telemarketing. Após a conclusão do curso, trabalhei numa clínica multidisciplinar como Psicóloga Clínica e pouco tempo depois já atendia meus próprios pacientes sem nenhuma relação com esta clínica. Paralelamente ao trabalho como Psicóloga Clínica que já faço há mais de 10 anos também trabalhei em um hospital prestando serviços de atendimento psicológico a pacientes hospitalizados e familiares, buscando promover e desenvolver o potencial humano frente a hospitalização e doença. Também fazia acompanhamento psicológico, apoio, orientações a respeito de procedimentos tanto aos pacientes, familiares, bem como equipe de saúde. Também já trabalhei com plantão psicológico dando respostas profissional de qualidade a usuários que recorrem a internet em um site de saúde geral, para resolver problemas e dúvidas de saúde emocional. Redigi alguns artigos para o público ou por demanda do site ou por própria iniciativa.

Em quais áreas atua nos dias de hoje?
Hoje trabalho com Psicologia Clínica, com procedimentos fundamentados na Psicanálise, porém com técnicas e objetivos diferenciados. Essa ótica psicanalítica me permite avaliar se a pessoa está com dificuldades Interpessoais, adaptativas, se há distúrbios, se suas queixas e motivos das consultas são algo sinalizadores da origem dos conflitos e de padrões recorrentes de conduta e também levantando hipótese psicodinâmica na condução do processo terapêutico. Também analiso triângulo de conflito e insight proposto por Malan tendo as intervenções necessárias. Posso trabalhar com questões focais e avaliações, quanto com psicoterapias mais prolongadas visando o auto conhecimento geral.

Há quando tempo é formada?
Me formei há 11 anos.

Explique o conceito da psicossomática? Como funciona? Quando e onde surgiu esse conceito?
Como Freud já dizia: “nada é meramente psíquico ou meramente somático…”, ou seja, o corpo expressa as emoções que muitas vezes escondemos de nós mesmos, como por exemplo, gestos, mímicas, calores, rubores, tremor, frio na barriga e inúmeras outras demonstrações físicas. Quando somatizamos algo é porque forçamos muito além da conta uma emoção que até então não foi bem elaborada. A psicossomática também estuda e entende que emoção prepara o corpo para desempenhar uma reação a ela.
A psicossomática valoriza o papel das forças mentais na conservação ou perda do bem-estar de um indivíduo e também entende que saúde não é apenas a ausência de doença como a OMS descreve sinteticamente, ela vê saúde como um todo que inclui também a saúde mental, pois o ser humano não é apenas um corpo de carne e osso. Somos seres bio-psico-social (biológicos, psíquicos e sociais) e dependemos do bom andamento desses três componentes interligados para ter uma vida saudável. De acordo com a linha psicossomática o adoecer está intimamente ligado com a capacidade do sujeito lidar com suas emoções e sentimentos. A manifestação de sintomas é um sinal de que algo não vem fluindo bem há algum tempo e esses sintomas representariam a quebra dos limites do indivíduo.
Pensando nisso podemos falar que Freud e Winnicott, famosos psicanalistas, já falam sobre resiliência e saúde mental, mas foi com Pierre Marty que a psicossomática tomou força estudando o funcionamento mental para tratar e prevenir doenças e chegou a fundar a Escola de Psicossomática em 1962 com outros colegas. Temos também autores como McDougall e Dejours que fizeram excelentes contribuições a área.

Como a teoria da psicossomática pode se aplicar no esporte?
A Psicossomática vem para analisar não apenas um sintoma, mas a pessoa como um todo que tem esse sintoma, ela vem para analisar como esta pessoa ocorre no mundo, como ela vive sua vida com suas frustrações, dificuldades, conquistas, alegrias e tristezas e como se dá a relação corpo/mente. Assim quando se avalia o biológico, o psicológico e o social de alguém, conseguimos identificar o que está causando determinada doença ou sintoma, ou como o estresse impacta na vida da pessoa, ou o que a impede de realizar e etc.. Quando eu olho para os atletas eu tenho essa mesma ótica: analisar o atleta como um todo e como ele reage com as coisas da vida, jogo, relações interpessoais, relação de perder e ganhar e como isso se reflete na saúde física, mental e no seu desempenho como atleta.

Explique como um problema de ordem pessoal, vida cotidiana pode gerar uma depressão, que por consequência, pode gerar doenças físicas?
O adoecer geral está intimamente ligado com a capacidade do sujeito para lidar com suas emoções e sentimentos, a manifestação dos sintomas é um sinal de que algo não vem fluindo bem há algum tempo, esses sintomas são a quebra dos seus limites em suportar e superar adversidades. A saúde é o equilíbrio entre os diversos sistemas que compõem o ser. Qualquer alteração em um dos sistemas, acarreta um desequilíbrio em todas a partes do indivíduo.
Por exemplo, falando do estresse, se este for continuidado e de grande intensidade, pode trazer depressão, ansiedade e outras doenças mentais. Também pode descontrolar o sistema imunológico e a pessoa, por exemplo, adquiri uma gripe. Quando algo não é elaborado ele vai para algum desses caminhos, ou se não cuidado em tempo, o adoecimento vai por esses dois caminhos ao mesmo tempo.

Doenças como depressão, estresse ansiedade podem influenciar negativamente no desempenho do atleta? Como?
Com certeza, a depressão leva a pessoa a perder o ânimo e vontade de fazer as coisas, inclusive o que gosta e o que precisa fazer para se sustentar. A ansiedade pode trazer uma angústia tamanha que faz a pessoa ter sensações corpóreas a ponto de ter taquicardia e vista turva. O estresse também pode impactar negativamente no desempenho do atleta, pois o estresse é um cansaço físico e mental e ele pode aparecer até em atividades prazerosas e agradáveis. Todos precisam de um tempo para recuperar as forças e descansar, caso contrário, sofreremos as consequências mais cedo ou mais tarde.

Problemas na vida cotidiana, familiar podem baixar o rendimento do atleta?
Podem sim. Quem nunca teve uma briga em casa e no dia seguinte, no trabalho teve dificuldade de concentração e baixo rendimento, pois está pensando em resolver alguma questão ou está elaborando tudo o que aconteceu? O atleta, antes de qualquer coisa é uma pessoa como nós que tem as mesmas questões da vida.

Como tem sido sua experiência do atendimento dos atletas do Palmeiras? Quais conteúdos você tem trabalhado com os jogadores?
Com certeza está sendo muito agradável, pois os jogadores estão muito envolvidos em melhorar como atletas e como pessoas, o que ajuda muito na hora de olhar para dentro de si e de permitir o bom trabalho psicoterápico. Os conteúdos trabalhados são vastos, alguns trazem algumas questões que acontece nos jogos e treinamentos e trabalhamos porque houve essa questão para ele, olhando para sua vida como um todo, como repetições, padrões de vida e etc. Outros trazem dificuldades familiares. O mais interessante é que independente da situação quando eles permitem que a Psicologia entre na vida deles, há uma melhora significativa em aumento da disposição em treinar, ganhar e ser um jogador melhor. Com certeza o time ganhou muito mais que se imagina.

Qual a importância que você vê da necessidade do atendimento clínico em atletas? Você acha que toda equipe deveria ter esse serviço?
Com certeza todo time deveria ter um Psicólogo com esse tipo de atendimento. Ao mesmo tempo que se deve trabalhar o time como um todo, deve-se trabalhar cada indivíduo como uma peça necessária em sua função para o time girar. São membros individuais que precisam estar bem para todo o time ficar bem. Se tiver uma parte que fica doente física ou mentalmente, o time sofre. Trabalhar a saúde mental individual com certeza agrega para o time todo, pois este depende de todos os setores funcionando bem.


Batemos um papo também com Um de nossos atletas que foi atendido pela Dra Viviane:

Você acha que todo time deveria ter uma psicóloga?
Acredito que sim, o futebol americano é um esporte de alto rendimento onde não só estar preparado fisicamente e tecnicamente é importante, mas também psicologicamente porque se a cabeça não está no lugar nada está!

Quais pontos foram trabalhados, melhorados e desenvolvidos na sua vida com os atendimentos?
Foram tratados diversas questões sobre mim, onde no atendimento foi mostrado opções em relação ao que eu pensava.

Que você acha do Pameiras ter uma preocupação de disponibilizar o atendimento de psicologia clínica para seus atletas?
Acredito que é uma boa inciativa, vejo muitos jogadores jovens no palmeiras, como eu também sou, que estão crescendo e aprendendo não só na carreira de jogador mais também na vida, quando algo não vai bem isso é nítido e é aí que os atendimentos entram e funcionam em forma de orientação.

Cite 3 características da Psicóloga Viviane e tente, brevemente, explicar?
Atenciosa, compreensiva ao entender a mensagem que o paciente quer passar, muito comunicativa.

Você acha que a psicóloga clínica, que esse atendimentos ajudam de alguma forma a você estar melhor como atleta? Por quê?
Sim, pois me ajudaram a me conhecer mais e me mostrou uma nova forma de ver as coisas. Minha vida melhorou bastante com as consultas e acabei me conhecendo mais, por ser um esporte de alto rendimento, assim que minha mente melhorou meu rendimento em campo também.

Leave a Reply